Dispositivos de entrada, saída e processamento




Todo computador, seja ele de mesa (desktop), de colo (laptop), de mão (palmtop), possuem interface que permite ao usuário, interagir com o sistema, de forma ampla e completa. Cada dispositivo possue características comuns e bem definidas.

Mas para isso, temos que defini-las em grupos específicos, mas que tenham em comum a direção e finalidade para qual foi designada. Existem basicamente 4 tipos de dispositivos:

·         Dispositivos de entrada
·         Dispositivos de saída
·         Dispositivos de armazenamento
·         Dispositivos de processamento

Dispositivos de entrada de dados e informações
São definidos como dispositivos de entrada, periféricos que, de uma forma ou de outra, permitem que sejam enviados para dentro do sistema algum tipo de informação, seja ela escrita, falada, visual e etc.

Ex:

Teclado: envia ao computador, caracteres escritos de forma digital
Microfone: envia ao computador, informações em forma de som
WebCAM: envia ao computador, vídeos para serem exibidos na tela

Dispositivos de saída de dados e informações
São definidos como dispositivos de saída, periféricos que permitem a exibição seja visual, auditiva ou impressa para fora do computador, fazendo com que o usuário as receba.

Ex:

Caixa de som: envia ao usuário, músicas de MP3 ou o áudio do microfone
Monitor: envia ao usuário, imagens para que ele possa ler o conteúdo na internet
Impressora: envia ao usuário, um papel com informações impressas sobre a seleção brasileira

Dispositivos de armazenamento de informações
São definidos como dispositivos de armazenamento, todo componente e periférico que armazena informações para serem acessadas posteriormente. As memórias RAM não se enquadram neste quesito, devido o fato de serem voláteis, ou seja, perdem seu conteúdo com o desligamento de sua energia.

Ex:

HDs: salvam arquivos e o sistema operacional de forma que seu conteúdo não se perca com o desligamento de sua energia
PenDrives: Permitem que o usuário carregue de forma eletrônica dados que não se perdem com a retirada do dispositivo da USB
CDs ou DVDs: permitem a portabilidade de arquivos salvos para serem acessados em outro computador, na forma ótica (permanente ou não), sendo acessados por laser

Dispositivos de processamento de dados
Enquadram-se neste quesito, os dispositivos responsáveis por processar uma informação dos dispositivos de entrada para serem enviados aos dispositivos de saída ou armazenamento. Enquadram-se aqui, principalmente:
Memória RAM: que armazena dados para serem acesados de forma mais veloz que o HD, trabalhando diretamente com o processador

A placa de vídeo: que processa as imagens que vão para o monitor
Chipset: circuitos de apoio da placa mãe, fazendo a comunicação entre os dispositivos através de barramentos
Processador: peça que executa instruções existente nos programas.

Visão geral do funcionamento de um computador
Basicamente, os dispositivos básicos incluídos num gabinete em funcionamento para o funcionamento útil de um computador são:

Fonte – Que chaveia a energia de forma correta em volts e corrente necessárias para cada dispositivo
Placa-mãe – contém todos os dispositivos controladores de apoio às outras peças, sendo seu principal componente, os chipsets ponte norte e ponte sul
Processador: executa instruções, calcula informações entre outras tarefas específicas
Memória RAM: Armazena de forma temporária, informações para serem usados por outros dispositivos, sendo o principal o processador
Placa de vídeo: Processa imagens para serem exibidas no monitor
Hard Disk (HD): Armazena o sistema operacional e permite que seus arquivos sejam salvos

O funcionamento de um computador, visto a olhos experientes é simples. Sua explicação a leigos é bem fácil de ser compreendida, veja:

Quando um usuário digita a letra “A”, por exemplo, essa informação sai do teclado indo pela interface serial até o chipset ponte sul, que envia a memória para ser processada pela CPU (central processor unit – unidade central de processamento) depois de ter sua prioridade requerida no momento certo. Este, depois de processado, envia a informação para a ponte norte, onde se encontra a placa de vídeo, que o envia através de interface paralela a um monitor, para ser visualizada pelo usuário. Isso acontece um uma fração de segundos – no qual chamamos tecnicamente de freqüência.

Veja como está montado um gabinete e veja seu funcionamento físico. Olha como as peças estão interligadas – tomemos como ponto de partida a fonte, então:

A fonte é conectada à placa mãe e a periféricos que contém motores, como o HD e leitores de CDs, por exemplo. Esta, interliga todos os outros componentes como as memórias e o processador através de barramentos e slots; ligam os leitores e HDs através da interface IDE (PATA ou SATA); e ao painel frontal, onde existem conectores de áudio e USB – além do POWER, RESET e LEDs indicadores.

O hardware e software
No universo da informática, existem basicamente 2 mundos: o físico (denominado HARDWARE) e o lógico (denominado SOFTWARE).

No hardware, podemos tocar em todos os seu componentes de forma física. Ora, podemos tirar uma placa de vídeo do slot AGP, não é?

No lógico, não tocamos fisicamente, mas de forma eletrônica, através de interfaces. Mas, esqueçamos então, o mundo físico, por hora, para embarcarmos no mundo lógico.

O software faz o hardware funcionar, dando-lhe funções, de forma programada.

Os softwares, ou seja, os programas, são divididos basicamente em dois – os que fazem parte do sistema operacional e aplicativos.

A principal diferença é que os aplicativos instalamos de acordo com nossas necessidades, como por exemplo, o Nero, que usamos para gravar CDs. Estes são instalados através de assistentes, que foram criados para facilitar a instalação para um usuário final que é leigo no assunto de configuração. A estrutura de instalação será vista posteriormente, no decorrer do curso.

Já os softwares do sistema operacional contém várias divisões, que serão vistas mas detalhadamente lá na frente. Mas para adiantar, são os controladores, interpretadores, drivers, kernel, registros e logs, basicamente. Estes  ao configurados na hora em que o sistema está sendo instalado ou um programa aplicativo está sendo registrado.

Usam linguagem de máquina, de forma binária. Existem várias linguagens como C++, Delphi, Assemble entre outras.

Sistemas operacionais disponíveis
O sistema operacional, são um conjunto de programas que fazem com que você interaja com o hardware do seu computador, controlando-os de forma eficaz e sincronizada, através de freqüências eletrônicas.

Cada sistema opercaional disponibilizado, fora construída para diversas arquiteturas, mas a que se destacou com mais eficácia, foi o PC, tendo várias versões de sistemas operacionais, dentre as quais, as que mais se destacaram foram o Windows e o Linux.

Cada um deles será explicado de forma mais detalhada no decorrer do curso, mas adiantaremos agora, algumas das principais versões:

Linux:
Distribuições principais: Debian, Slackware, Gentoo e etc.
Distribuições baseadas nas principais: Ubuntu, Kurumin, SuSE, RedHat, Mandriva e etc.

Windows
Windows NT, XP, 2000, Vista, 98, 95, Seven e etc.

6 comentários:

Anônimo disse...

Mtoo boom! (:

Anônimo disse...

adorei o site.. mto bom ;*

Anônimo disse...

adorei

Anônimo disse...

oi! sou adriana timm e adorei seu blog muito bom.

Anônimo disse...

super fashion

Anônimo disse...

Eu estou fazendo um curso técnico em informática e isso descomplicou minha vida! Muito bom! Super recomendo!